Abscesso periapical – um problema a ser tratado!

O desenvolvimento do abscesso periapical se dá pela reação de defesa contra agentes patógenos (bactérias) que estimulam resposta inflamatória e imunológica no local gerando pus.

Se não tratado se torna crônico.

Pode também se disseminar para a face e pela corrente sanguínea.

Um cuidado especial deve ser tomado quando em crianças cardiopatas e/ou imunodeprimidas. Há risco sério de afetar as válvulas do coração.

Pode ser indicado o tratamento endodôntico (canal) ou extração para remover o foco da infecção. Alguns fatores são levados em consideração, dentre eles:
•  comportamento desfavorável ao tratamento dentário;
• Problemas médicos – pacientes cuja saúde geral está sob risco de bacteremias transitórias, por exemplo, as crianças com doenças cardíacas congênitas e aquelas que são imunocomprometidas devido a doença primaria (por exemplo, hipogamaglobulinemia) ou tratamento médico (pacientes da oncologia e recipientes de transplante);
• Os segundos molares decíduos devem ser mantidos o maior tempo possível para prevenir a mesialização dos primeiros molares permanentes quando da erupção;
• Um dente próximo à esfoliação (por exemplo com menos que dois terços de extensão de raiz remanescente);
• Um dente com avançada reabsorção radicular patológica.

Portanto observando o problema procure sempre um dentista para ser orientado quanto ao correto tratamento.

 

Fonte:

http://blogdeodontologiasocial.blogspot.com.br/2011/03/terapia-pulpar-na-denticao-decidua.html

www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?down=000776695

 

Abscesso na dentição decídua

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest