O bruxismo noturno(ou do sono) é uma atividade inconsciente de ranger e/ou apertar os dentes, enquanto o indivíduo encontra-se dormindo. Já o bruxismo diurno(ou em vigília) é caracterizado por uma atividade semivoluntária da mandíbula, de apertar os dentes enquanto o indivíduo se encontra acordado, e está relacionado a um tique ou hábito.

Os benefícios da toxina botulínica, também conhecida com o nome comercial botox, são bem conhecidos na estética da face, entretanto estudos recentes têm demonstrado múltiplas aplicações em desordens neuromusculares. O objetivo da sua utilização no bruxismo do sono é reduzir o desgaste ou a quebra dos dentes, bem como os demais danos provocados pelo bruxismo. Em setembro de 2011, o Conselho Federal de Odontologia, liberou oficialmente , para fins terapêuticos, o uso pelos dentistas da toxina botulínica. 

O bruxismo primário tem início no cérebro. Um sinal adrenérgico muda momentaneamente as ondas elétricas cerebrais da pessoa que está dormindo, o que chamamos de microdespertar. Após a ocorrência do microdespertar, há um aumento na frequência cardíaca, tudo acontecendo em questões de milésimos de segundos. Nesse momento o cérebro envia um sinal para a musculatura mastigatória, ou seja, nervos periféricos liberam acetilcolina, um neurotransmissor que faz os músculos se contraírem. É aqui que a toxina botulínica atua, ela impede a liberação da acetilcolina por um tempo, cerca de 4 a 6 meses.

Varios são os músculos da mastigação, mas alguns são internos e nao é possivel a aplicação do botox. A toxina então é aplicada em alguns pontos no maior e mais forte musculo da mastigaçao, o masseter, e não impede a ocorrência do bruxismo, mas reduz a força com que ele ocorre.

O uso da toxina botulínica no músculo masseter não deve ser usado indiscriminadamente. O cirurgião dentista é capaz de diagnosticar e aplicar a toxina em casos específicos, uma vez que quando utilizada corretamente, a terapia é eficaz.

Os benefícios do Botox são bem conhecidos na estética da face, entretanto estudos recentes têm demonstrado múltiplas aplicações em condições não cosméticas. Os achados das pesquisas, com alto nível de evidência científica, suportam a eficácia da toxina no tratamento da distonia espasmódica, no tremor essencial da voz, na desordem temporomandibular, na distonia cervical, no bruxismo e no estrabismo.

Colaboração: Dra Tereza Scadua

  • Formada na UFES, Especialista em ortodontia pela USP-Bauru, mestre em DTM pela Unifesp, pós graduação em saúde baseada em evidencia científica pelo hospital Sirio Libanes. Diplomada pelo Board brasileiro de ortodontia.

TOXINA BOTULÍNICA (BOTOX) NO CONTROLE DO BRUXISMO DO SONO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest